Guru do Desempenho
atividades essenciais do RH

Conheça 7 atividades essenciais do RH para uma PME

O RH é o setor que tem se tornado, cada vez mais, indispensável dentro das organizações, e pode ser caracterizado como o coração que mantém a empresa viva e pulsante. Muitas vezes, em pequenas e médias empresas (PMEs), as atividades essenciais do RH são realizadas apenas por uma pessoa; frequentemente, um analista. Ainda assim, são a base responsável por conferir personalidade à empresa.

Por que esse setor é tão importante?

Porque é por intermédio das pessoas que os valores e princípios da organização se transformam nas ações que consolidam a sua imagem.

É essa a principal responsabilidade do RH: administrar os talentos de uma organização, fazendo com que imprimam a verdadeira razão de ser do negócio.

A importância de realizar atividades essenciais do RH

Mesmo que o RH não seja um setor estruturado, ou que a PME não consiga manter uma área de RH como fazem grandes empresas, é importante entender e adotar algumas atividades essenciais. Isso permitirá a atuação junto às pessoas que compõem a empresa.

Confira quais são essas atividades:

1. Estabelecer um processo dinâmico de Recrutamento e Seleção

Não só o responsável pelo RH, mas o próprio empresário precisa estar ciente que a captação de talentos é um dos momentos mais cruciais dentro de uma organização. Afinal, é por meio dela que a empresa incorpora colaboradores que podem contribuir para o crescimento ou para o fracasso do negócio.

Sendo assim, é importante que os gestores — ou mesmo o analista de RH — estabeleçam rotinas e processos para o recrutamento e a seleção de novos colaboradores.

Entretanto, eles também devem ter a percepção de que nenhum processo é imutável e infalível. Todas as práticas e ações tradicionalmente utilizadas, apesar de funcionarem, podem ser aperfeiçoadas e ganhar mais funcionalidade.

Além disso, em casos de empresas menores, onde o RH está concentrado em uma ou poucas pessoas, essa é uma atividade que pode contar com o apoio de consultores externos ou empresas especializadas. Porém, é indicado que haja um acompanhamento adequado de todo o processo.

2. Criar formas de recompensar seu time

As recompensas recebidas pelos colaboradores em troca de seu trabalho também são de responsabilidade do RH. Ele deve definir uma remuneração justa, alinhada com os benefícios oferecidos pela empresa.

Essa é uma atividade do RH, pois existe a necessidade de adequar o salário, por exemplo, à função exercida, ao desempenho do colaborador e às exigências legais.

Cabem ainda ao RH, junto à atividade de compensação, as seguintes responsabilidades:

  • Acompanhar as remunerações atuantes no mercado, através de benchmarks;
  • Discutir e definir aumentos e alterações na remuneração;
  • Negociar com provedores de seguros, planos de aposentadoria e parceiros.

Atividades mais específicas, como as relacionadas à folha de pagamento, podem ser departamentalizadas ou terceirizadas, para tornar o RH mais ágil e estratégico.

3. Motivar seus colaboradores

A motivação é algo pessoal e intransferível. No entanto, estudos divulgados pelo portal administradores.com, especialista em gestão, apontam que as condições e o ambiente nos quais o indivíduo está inserido possuem influência sobre tal motivação — a chamada motivação extrínseca — e podem estimular bons sentimentos e sensações em relação ao trabalho.

Além disso, a gerência da equipe pode ter um impacto de até 70% no engajamento dos funcionários. Dessa forma, é responsabilidade do RH fazer com que as coisas “funcionem bem” dentro da empresa, propiciando um clima agradável, produtivo e estimulante.

Isso irá refletir em equipes engajadas, que compartilhem dos mesmos propósitos e possuam um objetivo em comum.

4. Investir em treinamento e capacitação

Talentos recrutados, selecionados e motivados por meio da dedicação total do RH: é hora de atender às necessidades de treinamento. Essa prática importante alinha colaboradores às expectativas da empresa, ao mesmo tempo em que aperfeiçoa e desenvolve as habilidades existentes de cada pessoa.

Não investir em treinamento e capacitação das equipes pode impactar negativamente nos resultados da empresa, acarretando até mesmo em prejuízos. Afinal, é no treinamento que se adquire o conhecimento sobre técnicas e meios mais eficientes para desenvolver determinada atividade.

Para que o treinamento se torne mais atrativo, o gestor ou responsável pelas atividades de RH pode apostar em meios inovadores para aplicá-lo. Uma excelente opção é explorar novos recursos, agilizando o processo através de uma plataforma online.

Esse método é chamado e-learning e pode se tornar financeiramente mais atrativo, com base no número de pessoas que receberão o treinamento.

5. Valorizar seu capital intelectual

Entre as atividades essenciais do RH, está o reconhecimento e a valorização do capital intelectual da empresa. Ter um ambiente favorável para investir é outro benefício gerado pelo setor ou pela influência de um RH em PMEs e é considerado indispensável, justamente por se caracterizar como um importante agregador de valor.

Além de contribuir para o crescimento e desenvolvimento das equipes, fazer a gestão do conhecimento permite:

  • Estimular a criatividade e a inovação;
  • Proporcionar novas aprendizagens;
  • Contribuir para a vivência de novas experiências.

Portanto, a gestão do conhecimento implica conhecer, avaliar e distribuir o uso da informação e do conhecimento de forma assertiva. Assim, poupa-se tempo e evita-se o desperdício de talentos.

É algo simples, que pode iniciar com a definição de cargos e crescer para um real investimento em desenvolvimento de talentos.

6. Promover avaliações de desempenho periódicas

É nesse momento que a empresa vai descobrir quais foram os impactos causados pelas suas ações de treinamento e desenvolvimento, ou diagnosticar as reais necessidades da equipe.

Medir o desempenho e as competências das equipes é uma ótima forma de descobrir o que ainda está errado e o que pode ser feito para melhorar a performance dos colaboradores.

Dessa forma, a métrica de rendimento é uma prática para ser adotada de forma contínua, como um acompanhamento dos resultados parciais.

Outros benefícios dessa atividade são proporcionar:

  • O mapeamento das competências e metas da equipe;
  • A definição e acompanhamento dos prazos estabelecidos;
  • O conhecimento em 360º do que está sendo desenvolvido pelo colaborador e equipes;
  • A identificação dos principais gargalos, com ações mais assertivas sobre eles.

7. Dar feedbacks

E, finalmente, é essencial que as equipes tenham um retorno sobre tudo o que é avaliado a seu respeito. O feedback é uma ferramenta de desenvolvimento poderosa, que pode impulsionar a reação do colaborador em direção ao seu melhor resultado.

Tanto positiva, quanto negativamente, é importante que esse retorno parta do RH, com base no conhecimento sobre a realidade da empresa e das equipes.

É importante ter ciência de tudo o que foi aplicado em determinado período de tempo e a capacidade de resposta do colaborador a essas ações.

Quanto melhor engajado o RH e mais envolvido com a gestão, mais frequentes se tornam os feedbacks, tornando-os ainda mais pontuais e assertivos. Isso irá contribuir significativamente para a rápida melhoria em eventuais falhas ou aperfeiçoamento das práticas já existentes.

Agora que você conhece um pouco melhor essas atividades essenciais do RH, conte-nos sobre o que você considera indispensável. Deixe seu comentário!

Felipe Batalha

Felipe Batalha

Pai do Martin, engenheiro e empreendedor. Descobriu que a gestão de pessoas pode ser a principal competência para crescimento de um profissional. Sempre em busca de novas experiências em viagens e na culinária.

Comentar

Felipe Batalha

Felipe Batalha

Pai do Martin, engenheiro e empreendedor. Descobriu que a gestão de pessoas pode ser a principal competência para crescimento de um profissional. Sempre em busca de novas experiências em viagens e na culinária.

Siga-nos nas redes sociais

Assine nossa newsletter!