Guru do Desempenho
rh

7 razões para investir no RH em momentos de crise

O Brasil passa por momentos turbulentos. Já enfrentamos outras crises e o que temos certeza é que elas passam.

Porém, em meio a esse cenário algumas empresas, ao rever seu planejamento, optam ou já optaram por adiar projetos e iniciativas da área de RH, considerando-os desnecessários neste momento.

Afinal, como justificar novas despesas em programas de treinamento, nas melhorias no processo de avaliação de desempenho ou na área de recrutamento?

Neste sentido, pensamos de um modo diferente, são em momentos difíceis que as iniciativas e projetos relacionados à gestão de pessoas devem ser ouvidos com mais atenção e acolhidos. Veja abaixo 7 argumentos que sustentam essa tese:

1. Em tempos de crise você precisa dos melhores

Para momentos difíceis você precisa que seus funcionários e líderes estejam mais preparados e motivados para enfrentar um cenário com menos clientes, mais competição e de margens mais estreitas.

Sua organização precisará das melhores pessoas para resolver problemas mais difíceis. Isso inclui programas de gestão de pessoas que engajam mais, melhoram a eficiência do colaborador no trabalho e o desenvolve constantemente para enfrentar novos desafios.

Um exemplo ocorre no setor de vendas das organizações.  De acordo com estudos realizados pelo Sales Readiness Group em uma pesquisa realizada com 2000 empresas respondentes em 2015, empresas com bons programas de treinamento possuem taxas de performance maiores em 52,6% comparadas às que tem programas fracos ou não investem em treinamentos.

2. Ótima oportunidade para o RH identificar talentos

Em cenários mais complicados, se torna mais fácil encontrar quem são os colaboradores mais talentosos ou os que mais se destacam.

Isso permite que você os desenvolva para ocupar posições mais importantes agregando valor para a organização. Nesse sentido iniciativas que auxiliem na identificação de talentos devem ser incentivadas nesses momentos.

3. Excelente momento para propor mudanças

Em uma época de desafios é mais fácil sua organização aceitar mudanças que vão em busca de soluções para essa situação. Desburocratizar processos e torná-los mais simples e rápidos é uma iniciativa, por exemplo, que em um momento de crise deve ser levada em conta.

Justamente agora é que é o momento de se repensar processos de gestão de pessoas e otimizá-los para melhorar a eficiência da organização, principalmente do RH. Uma boa alternativa é a utilização de software de gestão do capital humano, que contribuirá, por exemplo, para redução de custos e agilidade nos processos.

4. Você pode negociar melhor com fornecedores

Negociar com fornecedores com o mercado menos aquecido, é um cenário que tende a tornar maior o poder de barganha do comprador. Provedores de soluções e serviços para o RH também enfrentam um mercado mais difícil, e este é um excelente momento para se conseguir bons descontos e fechar negócios vantajosos.

5. Um bom momento para contratações vantajosas

Pela grande oferta de candidatos no mercado, o RH tem uma excelente oportunidade para encontrar talentos. Investir em encontrar estes candidatos, neste momento, pode ser o diferencial para a sua organização sair mais fortalecida de uma crise econômica.

6. Oportunidade para valorizar novas soluções

Em momentos de crise qualquer corte de gasto e otimização de recursos são ouvidos com mais atenção. Essa é uma excelente oportunidade para o RH se tornar uma área mais estratégia na empresa.

Para isso, é necessário comparar soluções e processos atuais com novas propostas e projetos de uma maneira a mostrar claramente qual é o retorno sobre o investimento da mudança e qual o custo atual em se manter o processo ou solução atual.

Nesse estudo, se conseguiu evidenciar isso: é em um momento de crise que essa mudança deve ser adotada.

7. Antecipe-se e saia na frente

A crise vai passar, ninguém sabe muito bem quando ao certo, mas no momento dessa retomada quem estiver melhor preparado vai aproveitar melhor as oportunidades que surgirem. Historicamente, esta retomada ocorre de forma mais rápida.

Um caso emblemático é o da IBM, que no auge do crash da bolsa de Nova York de 1929 investiu 6% do seu faturamento em um centro de pesquisas. Muitos acharam loucura mas, graças a isso, a IBM foi a única empresa capaz de desenvolver um sistema para processar dados de 28 milhões de cidadãos americanos beneficiados pela lei de seguro social aprovada em 1935.


Gostou desse conteúdo? Cadastre-se ao lado e receba mais dicas como essa diretamente no seu e-mail.

Bruno Coelho

Bruno Coelho

Gestor de equipes de alta performance com background de TI, entusiasta das metodologias Lean e Agile, defensor de decisões baseadas em dados. Acredita que o crescimento e o aprendizado constante é o propósito de tudo, e que as organizações só prosperam com o crescimento individual das pessoas.

Comentar

Bruno Coelho

Bruno Coelho

Gestor de equipes de alta performance com background de TI, entusiasta das metodologias Lean e Agile, defensor de decisões baseadas em dados. Acredita que o crescimento e o aprendizado constante é o propósito de tudo, e que as organizações só prosperam com o crescimento individual das pessoas.

Siga-nos nas redes sociais

Assine nossa newsletter!